Senior Grand Master Edmund K. Parker

O Fundador do Kenpo Karate Americano

Edmund Kealoha Parker, nasceu em Honolu (Hawai) em 1931 no seio de uma família abastada. O seu primeiro contacto com a arte do Kenpo aconteceu aos 16 anos de idade, quando um dos membros da igreja à qual pertencia, falava sobre Chow, contando a um grupo de pessoas como este tinha vencido um desordeiro com fama de invencível. Ed conhecendo a fama que o homem duro tinha, pensou literalmente que estava mentindo na história que contava. Contudo essa ideia desfez-se quando observou Frank Chow a demonstrar como tinha vencido essa tal luta, ficando surpreendido. Foi este o ponto de partida para o início dos seus estudos, sob a supervisão de Frank Chow.

Parker tinha uma experiência marcial prévia, baseada principalmente em judo e boxe, e ao contrário dos estilos que praticava, o Kenpo oferecia-lhe acção explosiva, com a mínima exposição de alvos.

Frank Chow foi o instrutor de Parker até um dia o informar que os seus estudos com ele tinham terminado, recomendando que continuasse o seu treino sob a instrução do seu irmão William K. S. Chow. Até esta altura, tinha treinado de forma privada, agora iria participar em aulas de grupo na escola de William Chow, onde existiam alunos avançados, com os quais poderia comparar a sua habilidade em combate. A partir do momento em que Ed Parker foi testemunha dos velozes movimentos de Chow e da grande habilidade dos seus estudantes (entre os quais se encontravam os irmãos Emperados), decidiu que os seus esforços iriam concentrar-se no estudo e aperfeiçoamento do Kenpo.

William Chow, mostrou a Parker a necessidade de modificações dentro do seu sistema, subtraindo e ou adicionando aquilo que achava ser funcional ou não, para o tornar mais efectivo, revelando-lhe uma série de chaves mestras de movimentos que iriam permitir a Parker tornar-se num criador e inovador. Chow testava tudo aquilo que havia adquirido sem se importar com a sua origem, se era eficaz incluía-o no seu sistema e ensinava-o aos seus alunos. Parker acumulou ao longo do tempo os ensinamentos que obteve do professor Chow e nunca deixou de agradecer-lhe por o ter colocado no caminho do pensamento lógico e realista.

Depois de passar dois anos na Universidade de Brigham Young em Passadena, foi recrutado para ir para a guerra da Guiné em 1951. Em 1954 ao voltar à universidade, propôs a William Chow, abrir escolas de Kenpo Karate nos Estados Unidos, ao que Chow concordou com esta ideia, dizendo-lhe no entanto que continuasse a estudar. Parker iniciou-se como professor, administrando algumas aulas, onde rapidamente aprendeu a usar os ensinamentos de Chow, para evoluir. Em Dezembro de 1954 durante uma demonstração, foi contactado para ministrar aulas à Policia local e aos estudantes de um ginásio.

Dois anos depois em Setembro de 1956, Parker decide abrir o seu próprio estúdio em Passadena na Califórnia. Foi aqui que conheceu Terry Robinson, director físico do Beverly Hills Healt Club, que ficou impressionado com o sistema de Kenpo de Parker, convidando-o para dar aulas no seu club. Entre os alunos encontravam-se actores, produtores e realizadores de cinema e televisão, facto que se revelou de extrema importância para a introdução do Kenpo no mundo do cinema. Foi neste club que Parker conheceu Elvis Presley, que se viria a converter num seu fiel aluno e amigo. Com o passar do tempo e com muito treino, Elvis recebeu das mãos de Parker o seu merecido cinturão negro de Kenpo.

Em Setembro de 1959 Ed Parker voltou ao Hawai para se encontrar com Chow e falar-lhe da expansão das escolas de kenpo nos Estados Unidos. Chow mostrou-se agradado e deu-lhe a sua aprovação, mas nunca iria sair do Hawaii pois achava que dificilmente se iria conseguir adaptar à vida no continente, ao que Parker respeitou. Ao regresso aos Estados Unidos organizou os campeonatos internacionais de artes marciais mais importantes do seu tempo: “Os Internacionais de Long Beach”, aberto a todos os estilos e sistemas de artes marciais. Destes campeonatos saíram um grande número de artistas que mais tarde alcançariam um grande reconhecimento Internacional, tais como, Chuck Norris; Steve Sanders; Joe Lewis; Ben Urquidez; etc… que foram grandes campeões graças a estes campeonatos.

A intenção de Parker era a de dar a conhecer os diferentes estilos marciais ao grande público, com o fim de elevar o Kenpo Karate nos torneios e a melhor forma de o fazer, era concentrar muitos sistemas debaixo do mesmo tecto. A grande reputação que Ed Parker adquiriu, permitiu conhecer e treinar com os melhores do momento. Possivelmente a figura mais famosa que se deu a conhecer graças a Parker foi Bruce Lee. Este realizou uma exibição no primeiro International Long Beach, em 2 de Agosto de 1959, e o resultado não podia ser melhor. Como consequência, Parker apresentou Bruce Lee a vários produtores de cinema, que viriam a lançá-lo no mundo do espectáculo.

Durante a sua estada na EEUU, Parker não parou de investigar e estudar novos princípios para o seu kenpo, tornando-o num sistema mais científico e preparado para a mentalidade ocidental. Era um sistema de Kenpo renovado e de sua própria criação. Ed Parker foi autor de numerosos livros sobre a sua arte como, “Kenpo Karate – Lei do Punho”; “Mãos Vazias”; “Segredos do Karate Chinês”; “Ed Parker Guia dos Nuchacos”; “O Zen do Kenpo”; “Enciclopédia do Kenpo”; entre outros.

O sistema de Mestre Ed Parker, rapidamente se foi estendendo por todo os Estados Unidos, assim como as suas escolas, criando a necessidade da existência de uma associação que unisse todos os praticantes americanos numa só direcção, e assim em 1956 foi criada a KKAA ( Kenpo Karate Association of América), que mais tarde iria mudar para IKKA ( International Kenpo Karate Association ), em 1960, quando membros da Associação começaram a emigrar para outros países. O primeiro cinturão negro a introduzir o Kenpo Americano fora dos Estados Unidos foi John McSweeney, que se converteu no pioneiro do Kenpo na Irlanda. A este se seguiram outros, contribuindo para a projecção internacional do Ed Parker's Kenpo. Em 15 de Dezembro de 1990. Mestre Parker regressou ao Hawai, onde um repentino ataque de coração pôs termo à sua vida. As circunstâncias quiseram que a morte chegasse no seu regresso a casa. A sua morte, foi sentida com enorme consternação pela forma inesperada e surpresa como aconteceu, criando um enorme vazio no seio do kenpo. A maioria dos seus cinturões negros avançados, abandonaram a Associação, porque sem a figura de Parker não fazia sentido que a IKKA ( International Kenpo Karate Association ) continuasse como única associação de Kenpo no mundo. Segundo o seu pensamento a IKKA era o prolongamento da figura do próprio Parker, por isso o Mestre Parker não deixou nenhum sucessor para liderar a Associação.

Depois do seu inesperado falecimento, alguns mestres de Kenpo Karate, criaram as suas próprias associações:

- Frank Trejo 9° Dan ( Frank Trejo's Kenpo Karate Association)
- Jeff Speakman 6° Dan e Jonh Sepuelva 8° Dan (American Kenpo Karate Association)
- Larry Tatum 10° Dan (Larry Tatum's Kenpo Karate Association)
- Joe Palanzo 10° Dan e Ricardo “Huk” Planas 9° Dan (Worldwide Kenpo Karate)
- Paul Mills 9° Dan ( American Kenpo Karate International )
- Bob White 9° Dan ( American Kenpo Señor Council )

Como responsáveis pela IKKA ficaram a mulher e o filho do Mestre Parker e como máximo representante o Mestre Gilbert Velez 9° Dan. Mas independentemente de cada associação o que é importante é que todos eles divulgam o Kenpo Karate de Ed Parker, para que se conheça e pratique em todo o mundo.

O Grande Mestre Ed Parker ficou conhecido como “O Pai do Karate Americano”, revolucionando o mundo das artes marciais e deixando-nos um dos sistemas mais praticados e efectivos do universo das artes marciais. Actualmente está considerado como um dos grandes génios marciais do seu tempo.

Entretanto, continuamos praticando o seu sistema com o coração, e o seu espírito sempre permanecerá vivo entre nós.